Como melhorar o relacionamento com um chefe tóxico?

No último post falamos sobre os chefes tóxicos e como eles podem se apresentar. Indiquei o diálogo para falar sobre o que te incomoda. Hoje listei algumas dicas para que você possa lidar com a situação de toxicidade da melhor maneira.

  • Lembre-se de que o chefe não tem algo pessoal com você, mas que esse jeito de ser é próprio dele, e age da mesma maneira com todos os funcionários.

  • Trate seu chefe como você gostaria que ele o tratasse: se gritar com você, não grite com ele; se ele o humilhar, não responda, trate-o com respeito.

  • Evite e não entre nas suas provocações e indiretas e não pense que tudo de ruim que ele diz refere-se a você.

  • Preste atenção aos comentários específicos sobre como você pode melhorar seu desempenho no trabalho, porque talvez ele tenha razão em certos aspectos, mesmo que não saiba se expressar corretamente. Coloque-os em prática para ver se o tratamento muda para melhor.

  • Fortaleça o relacionamento com os colegas de trabalho. Às vezes, o melhor caminho é a “resistência coletiva”, ou seja, encontrar outro parceiro ou colaborador que esteja passando pela mesma situação, e encará-la juntos.

  • Fale com o seu chefe sobre o que lhe incomoda.

  • Não centre toda a sua vida em torno do seu trabalho. Quando sair do escritório, esqueça os maus momentos e passe um bom tempo com amigos e familiares.

  • Aproveite cada momento de diálogo com seu chefe para crescer profissional e pessoalmente.

  • Busque pequenas motivações em cada tarefa.

  • Lembre-se do seu valor. Se o ambiente não for do seu agrado, você não tem motivo para suportá-lo.

Seu chefe é tóxico?

As relações tóxicas tendem a gerar sentimentos negativos, que ao invés de motivar, paralisam. Muitas vezes, e em muitos casos, alguns chefes, que lideram de forma errada, podem construir um relacionamento tóxico com seus colaboradores, e nem percebem. Mas como identificar se meu chefe é tóxico?

Uma pesquisa realizada nos Estados Unidos mostrou que cerca de 60,4 milhões de pessoas já sofreram algum tipo de assédio no local de trabalho. 61% desses casos de assédio vêm dos superiores. Se o seu grita com você, o ofende ou gera qualquer situação em que ele aterroriza e intimida, isso é assédio. O assédio no local de trabalho por chefes manifesta-se em quatro atitudes: ter acessos de raiva por qualquer situação mínima, criticar o desempenho sem justificativa, reter recursos ou manchar a reputação com palavras.

Vou listar para vocês algumas situações de toxicidade na relação de vocês. É preciso ficar atento.

  • Um chefe perfeccionista que é muito rígido nos pensamentos e críticas. O problema surge quando o perfeccionismo do chefe atinge a exigência prejudicial, já que as pessoas que são perfeccionistas costumam exigir dos outros padrões elevados em seu desempenho, tanto quanto exigem de si mesmas, o que as leva a condenar completamente os erros de seus funcionários;

  • Sem dúvida, o tempo é responsabilidade de todos, cada um deve assumir suas tarefas e entregar os resultados no prazo determinado. No entanto, quando a carga de trabalho e as responsabilidades de um funcionário se tornam excessivas, provavelmente é o chefe que está lidando mal com o tempo de trabalho e atribuindo tarefas sem levar em conta o tempo ou outras responsabilidades que já estão pendentes. Em geral, nesses casos, o chefe não costuma assumir a responsabilidade pelo problema, o que se torna reclamação para os colaboradores e desentendimento na relação de trabalho;

  • Também é muito comum encontrar chefes que não geram confiança suficiente para que os funcionários possam se aproximar e expressar suas preocupações, devido a uma comunicação nula ou ruim. Ele minimiza o que os outros pensam ou opinam, sem levar em conta que uma boa comunicação gera melhores resultados em uma empresa.

  •  O chefe inflexível. Esse tipo de chefe não permite que suas ordens sejam discutidas e impõe suas ideias, além de não aceitar opiniões do resto do time ou as variações nos resultados. No entanto, um estudo mostrou que um líder flexível gera melhores resultados na produtividade, pois beneficia a saúde dos funcionários. De acordo com o estudo realizado pela Universidade de Minnesota, a flexibilidade de um chefe está relacionada com a diminuição de licença por doença, bem como com um maior compromisso no trabalho.

  • Aquele que discrimina. Geralmente trata-se de uma relação em que o chefe expressa certos preconceitos ou ideias que traz incutidos de sua educação. Isso pode ter um impacto no bom relacionamento, especialmente se tais ideias se tornarem totalmente pessoais e mostrarem que ele não aceita alguém porque não gosta de como a pessoa se veste, da aparência física, caráter, senso de humor, ideologias e até mesmo do gênero.

Tenho certeza de que o mais importante não é se sentir impotente diante de qualquer situação que possa surgir com seu chefe e enfrentá-la de uma forma ou de outra, e a melhor maneira. Tente sempre o diálogo.

Se você identificou o seu entre os que mencionamos, deixe nos comentários!