Competências do profissional do futuro

O mercado está em constante evolução e, para conquistar as melhores oportunidades, é indispensável saber quais são as características exigidas de um profissional do futuro.

Tenha flexibilidade

Esqueça aquela forma de trabalhar do passado em que a pessoa iniciava a carreira em uma função e passava vários anos fazendo a mesma coisa. O profissional do futuro deve estar pronto para aceitar desafios, seja em assumir um cargo diferente na empresa em que trabalha, seja se aventurando em um nicho que é tendência do mercado.

A flexibilidade também é essencial para aceitar diferentes pontos de vista e, desse modo, obter bons resultados no trabalho em equipe.

Seja criativo

Não tenha medo de ousar e de expor suas ideias, porque as empresas esperam que seus colaboradores possam apresentar soluções diferenciadas e inovar. Sabe aquela expressão “pensar fora da caixa”? Então, é justamente isso o que o profissional deve fazer: usar a criatividade para modificar processos, produtos ou serviços e, assim, fazer a empresa sair na frente da concorrência.

Domine a tecnologia

Estamos na era digital, por isso é inaceitável que um profissional não domine ou não se mostre aberto para aprender as tecnologias da sua área. Muita gente acredita que isso é apenas uma exigência para quem é do ramo de TI, mas quem continuar com esse pensamento vai ficar para trás.

O profissional do futuro acompanha o dinamismo do mercado e está de olho nas inovações do seu segmento. Dessa forma, ele deve buscar meios de aprender a lidar com esses recursos para se diferenciar no mercado de trabalho.

Demonstre proatividade

As empresas enfrentam uma alta competitividade, sendo assim, esperam que seu time possa antever os problemas e buscar soluções antes que eles causem algum tipo de prejuízo.

Lidere!

Ser um bom líder é ter a capacidade de motivar equipes e de desempenhar um bom trabalho, extraindo o melhor de cada colaborador. O profissional do futuro que desenvolve essa competência é bem-visto pelos gestores e pode ocupar cargos mais altos e com melhores salários.

Comunique-se bem

Independentemente da sua área de atuação, você só vai se sair bem caso desenvolva a competência de se comunicar bem com os colegas, superiores e diferentes públicos.

É fundamental transmitir uma mensagem com clareza em uma conversa informal, ao apresentar sua ideia em uma reunião ou até mesmo para falar ao telefone ou redigir um e-mail. Uma boa comunicação envolve também saber a hora certa de ouvir o outro.

A importância da comunicação dentro do ambiente corporativo

Quem nunca ouviu a famosa frase do apresentador de TV Chacrinha: “Quem não se comunica, se trumbica”? Pois, é. A frase que viralizou na voz do apresentador, é uma lição para as empresas.

Em tempo de informação em real time e a um clique de acesso, a comunicação – ou melhor, a falta dela – continua sendo um problema em muitas corporações.

Transmitir as informações de forma correta e eficaz para todos envolvidos na empresa é, resumidamente, uma boa comunicação. Mas não é apenas isso.

É preciso que haja agilidade, precisão, interação, engajamento e transparência. E é preciso que existam essas características para todos os envolvidos. Desde o emissor da mensagem até o seu receptor final.

Vale lembrar que a boa comunicação no ambiente corporativo é bastante dinâmica. Ela não é realizada apenas por meio de conversas, formais e informais, telefonemas e reuniões. Ela está presente desde a pausa do café até a emissão de documentos importantes. Além disso, há também a utilização de ferramentas de comunicação escrita – como e-mail, memorandos e circulares, por exemplo – que fazem parte do dia a dia de qualquer organização atualmente.

Que tal algumas dicas para você começar agora a melhorar a comunicação na sua empresa?

1 – O responsável pelos processos de comunicação precisa conhecer profundamente não apenas as atividades, produtos e serviços da empresa. É preciso estar alinhado à estratégica da companhia em cada material produzido;

2 – Seja fiel aos canais internos de comunicação. Seja um boletim digital enviado por e-mail, um jornal mural ou um podcast, não importa. É preciso que a frequência seja respeitada;

3 – Não é porque se trata de uma comunicação empresarial que ela precisa ser chata. Faça desse canal um ponto de encontro prazeroso entre empresa e colaborador. É possível transmitir a informação de uma forma simples e interessante sem perder a profundidade;

4 – Inove o tempo todo. Crie novas mídias, mude a forma, tenha bom-senso, mas não deixe de ousar sempre;

5 – Provoque a interação entre o seu público e o meio. As pessoas gostam de se ver. Faça comunicações vivas, com fotos atuais das pessoas;

6 – Esqueça banco de imagem. Essa prática afasta os colaboradores das comunicações pois eles não se sentem representados. A equipe precisa se ver em todos os materiais;

7 – Não tenha medo de perguntar o que você não entendeu! Se você não entendeu, imagine o colaborador. Coloque-se no papel de “tradutor”. A comunicação não aceita nada além da clareza e da objetividade. Para ser simples e direto, é preciso ter informações e entendimento verdadeiro do cenário.

8 – Como eu contaria isto para a minha mãe? Faça esse exercício sempre que tiver algo complexo para comunicar. Tente explicar de um jeito que sua mãe entenderia;

9 – Evite o uso de palavras complicadas, siglas ou expressões que não são comuns para todos. Se for muito prolixo, você perde a conexão com seu público;

10 – Valorize seu trabalho e ele será mais valorizado pelo grupo. Lembre-se de que os maiores problemas das empresas estão relacionados à falta de comunicação. A solução está em suas mãos… Faça acontecer!

Manual prático para sua entrevista de emprego

Se você quer impressionar na entrevista de emprego e conseguir uma recolocação no mercado de trabalho, o primeiro passo é ter uma currículo impecável. Muitas vezes, uma carta de apresentação também pode auxiliar no destaque de suas qualidades.

No entanto, o currículo é apenas o primeiro passo na sua caminhada até chegar no seu destino final, a conquista da vaga.

Por isso, resolvi criar um manual prático de uma entrevista de emprego. Nas próximas linhas você terá acesso as dicas elaboradas por mim.

Acompanhe!

Como se preparar para uma entrevista?

Se seu currículo está devidamente atualizado (você pode conferir minha dica de como fazê-lo da melhor forma no link – https://karlaclarinda.ovale.com.br/2020/08/23/10-dicas-para-um-curriculo-perfeito/), sabe também que possui os conhecimentos e as habilidades necessárias para preencher a vaga.

Certo?

Agora é hora de saber como será a entrevista. Muitas empresas estão realizando seu recrutamento de forma on-line. E ai mora um perigo muito grande. É preciso se atentar para algumas situações.

Como se comportar em uma entrevista de emprego?

Essa é uma das perguntas mais frequentes que candidatos fazem após preencher o seu

currículo. Porém, o fato é que não há grandes mistérios. O comportamento adequado de quem vai ser submetido a uma entrevista de emprego é naturalidade e calma.

É importante que o candidato já se prepare para a entrevista de emprego com a devida antecedência, sem deixar tudo para a última hora. Treine a sua dicção, escolha a roupa adequada e atualize o seu currículo bem antes da entrevista. Além do mais, é importante ser pontual e, claro, conhecer a empresa e a vaga.

É essencial que você saiba em qual terreno está pisando. Por isso, para saber mais a

respeito da empresa, busque informações no site e redes sociais, pesquise as principais características dela, tudo isso dias (ou semanas) antes da entrevista.

Fique esperto também quanto à vaga que você disputa. Saiba detalhadamente os

conhecimentos que ela exige. Isso vai auxiliar você a se sair bem diante de

questionamentos sobre a sua função.

Entrevista online

As entrevistas online podem ocorrer por meio de ferramentas como o Skype, o Zoom Meeting e o Google Meet, só para citar algumas. Ainda que em uma entrevista online você não divida a mesma sala com a pessoa que está recrutando, é importante não deixar de lado alguns detalhes básicos que dizem muito sobreo seu perfil.

Contudo, é necessário manter o cuidado com a aparência e falar claramente, por exemplo.

  • Escolha o local adequado: é importante estar em um lugar bem iluminado e que sofra o mínimo de interferência de ruídos externos, tais como carros buzinando, cães latindo e conversas de pessoas. Além disso, o cenário deve ser neutro, sem distrações como TVs, telefone celular e pessoas circulando no local.
  • Atenção ao seu visual: não há necessidade de colocar a sua melhor roupa, mas evite aparecer de pijamas, por exemplo, com cabelo desarrumado e expressão sonolenta. Mantenha a mesma postura profissional que você teria em uma entrevista presencial.
  • Avalie sua conexão: Antes da entrevista é importante testar a conexão da internet para evitar problemas. Uma dica, nesse caso, é conectar o cabo de internet do seu computador diretamente no modem.

Esteja pronto para as perguntas tradicionais

“Por que você quer trabalhar aqui?”

Relacione o seu desejo à história da empresa. “Porque quero fazer parte de uma organização que vem crescendo 15% ao ano”;

“Por que devemos contratar você?”

Responda com um exemplo relacionado ao cargo: “Porque, exercendo atividades similares, consegui resultados expressivos na minha carreira, como…”.

“Onde você se vê daqui a cinco anos?”

Essa pergunta serve para o recrutador entender se você tem um projeto de carreira que sirva para a companhia. Dizer que você pretende ser gerente não diz nada. Aprofunde sua resposta. Por exemplo: “Quero ter juntado experiência o bastante para liderar um projeto”.

Qual é o seu maior defeito?”

Nada daquele papo-furado de “sou perfeccionista demais”. Citar virtude como defeito é tiro no pé. Mencione uma deficiência e acrescente o que está fazendo para superá-la Por exemplo: “Tenho dificuldade em falar em público, mas estou fazendo um curso para resolver essa questão”.