A importância do trabalho voluntário em sua empregabilidade

O mundo está cada vez mais voltado e sensibilizado para as questões sociais, conectado com o próximo e preocupado com o futuro da humanidade. Estar em contato com uma realidade diferente da nossa nos traz também benefícios ímpares, como ampliar a visão global e encontrar inspiração para lidar com problemas pessoais. Então, venho aqui falar do trabalho social dentro da empregabilidade! Atualmente, fala-se muito na falta de tempo.

A falta de tempo faz com que tenhamos esgotamento físico e mental. A necessidade de ter foco e saber dividir, administrar e aproveitar o tempo é a chave para o sucesso! Qualquer experiência, seja ela pessoal ou profissional, é capaz de provocar transformações.

Desse modo, tenha em mente que essa vivência o ajudará a aperfeiçoar seus conhecimentos e até propiciar questionamentos sobre o que você espera para sua carreira. Sabe aquele dia de domingo, nada para fazer, preguiça no sofá e uma tremenda sensação de tédio? Que tal mudar esse comportamento e fazer parte do voluntariado? Quem se dedica a esse tipo de ocupação torna-se uma pessoa mais ativa. Os compromissos do trabalho voluntário vão fazer com que sua agenda não que vazia. Você vai preencher suas horas vagas ajudando as pessoas, distraindo-se e tendo um passatempo estimulante. Quando se busca o primeiro emprego, o trabalho social é uma grande porta para você ingressar em uma oportunidade remunerada. E o ganho maior, ter experiência! Sabe por qual motivo? O ambiente corporativo acaba demandando mais de você do que a graduação ou curso técnico. E, claro, a falta de experiência no currículo é algo que pesa na busca do primeiro emprego, e diminui suas chances de ser contratado. Já imaginou poder se destacar num processo seletivo por ter ricas experiências? Então, busque o trabalho voluntário social! Ele abrirá grandes portas para seu sucesso. Muitos são os meios para ganhar experiência em sua área de atuação durante o curso de graduação. Se você acha que é apenas por meio de um estágio remunerado que poderá desenvolver sua carreira, saiba que está muito enganado. Além dessa possibilidade, você também tem como alternativas atuar como monitor de alguma disciplina ou laboratório e investir em um trabalho voluntário.

Ao contar com uma experiência como essa em seu currículo, você estará admitindo ao mercado que se envolve com projetos sociais e não hesitou em procurar por uma oportunidade de colocar em prática o que está aprendendo na graduação. Só de participar de um projeto e ter um posicionamento atuante e inovador já são fatores principais e benefícios para sua carreira. Os recrutadores valorizam muito o voluntariado, pois o ser humano que busca oferecer seu tempo para atividades não remuneradas é um profissional solidário, e eles sabem que quem faz esse tipo de atividade está em busca de desafios e desenvolve características que são bem quistas pelas organizações. Os maiores pontos que se destacam são no comportamento – exigibilidade e estabilidade emocional. No caso do trabalho voluntário, essa experiência é de grande peso, pois uma vivência nas reais dificuldades encaradas por pessoas de culturas desiguais o ajuda a trabalhar em equipe. Fora a oportunidade que você terá de aprender a ter facilidade em lidar com pessoas. O motivo é que as empresas têm dado preferência a candidatos engajados em um projeto voluntário. Pois sabem que voluntários têm mais habilidade para lidar com súbitos, conseguem ser proativos e são mais determinados. Essas qualidades enchem os olhos das empresas.

Dessa aptidão, ter uma experiência de trabalho voluntário no currículo ajuda a sobressair diante dos demais concorrentes. O profissional que já tem uma carreira sólida, porém está desempregado e sem remuneração, e está em busca de um emprego formal, fazendo o trabalho social, ele tem a oportunidade de aprender algo novo e se destacar na busca do emprego. As pessoas que realizam o trabalho social desenvolvem um círculo de amizades a ponto de ela ser ampliada e renovada. Sim, adquire mais unidade com outros profissionais e potencializa o tão falado networking, aumentando suas oportunidades de conseguir um novo emprego. Para o profissional que já tenha conquistado seu espaço no mercado de trabalho e seja remunerado para isso, vale a pena organizar sua agenda e distribuir suas horas para continuar as atividades sociais que, de certa maneira, continuarão contribuindo com o crescimento da sua carreira profissional. O trabalho remunerado requer tempo dedicado, pois para cumprir uma carga horária obrigatória na CLT o profissional passa 8 horas por dia, 240 horas semanais e 2.880 horas por ano trabalhando. Pois bem, é muito tempo utilizado só para a empresa!

Por que me tornei voluntária em 2015, eu tive que optar pela vida de autônoma na área comercial do seguimento de TI. Logo me veio a oportunidade de empreender. Usava a rede social LinkedIn para buscar clientes para o meu negócio, e via uma vasta quantidade de vagas perdidas nesse meio. Foi aí que tive a oportunidade de criar um grupo de emprego com regras e convidados que buscam candidatos e emprego, e assim compartilhar oportunidades de emprego. Convidava os gestores de empresas para divulgar suas oportunidades no grupo.

Nesse período, algumas pessoas me buscavam para pedir dicas de entrevistas, indicações de vagas, elaboração de currículos e outras demandas. Comecei a fazer de forma voluntária e as pessoas começaram a se recolocar (tudo de forma gratuita). Foi aí que tive a ideia de ajudar de forma assertiva, e por que não ser remunerada para isso! Nesse momento, meu negócio de TI não estava sendo tão rentável, e eu me via apaixonada em fazer o bem para as pessoas e o meu tempo era dedicado para isso. Decidi então ser uma empreendedora social, onde mudar o mundo através do meu trabalho voluntário é o meu principal foco.

Hoje, os grupos somam mais de 170, com 257 pessoas cada, tudo de forma muito organizada e segmentada. Grupos com vagas de engenharia, RH, PCD, Estágio, menor aprendiz, contábeis, área da saúde e educacional. Considero-me uma empreendedora social, porque consigo mudar o meio em que vivo através do voluntariado. Trazer para o meio em que vivo uma condição de vida melhor. E quer saber mais? Sinto-me privilegiada por Deus pelo dom que me deu de ter um olhar para o próximo e fazer a diferença de forma positiva. Tudo isso vem sendo muito recompensador para a minha carreira profissional e pessoal.

“O importante não é o que se dá, mas o amor com que se dá.” Madre Teresa de Calcutá

Trecho do livro ‘A CARREIRA É SUA?’, da editora Roda da Kika

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *